9 de ago de 2013

O que EU trouxe na mala

Olá gentee!! Esse é o primeiro de muitos posts escritos direto dos US hahah Bom, então como já deu para perceber eu cheguei, e está tudo mais que bem! Gostei muito da host mom, da cidade, das pessoas, mas enfim, esse post não é sobre isso e sim sobre o que EU trouxe na mala. Não vou fazer o que TRAZER ainda porque eu não sei o que foi bom ter trazido ou não, mas até então o que eu trouxe está ok! Como falei no post anterior, eu trouxe bastante coisa para dar e muita coisa de comida, e não deu problema nenhum não, só não nventa de trazer farinha hahah Mas trouxe também minhas coisas, claro! A primeira coisa que você tem que olhar é se o clima vai estar quente ou frio quando você chegar, porque no início você não vai comprar logo, então acho que é melhor assim. Depois você vê como o clima vai mudar ao longo do seu intercâmbio, para saber qual o tipo de roupa que você vai usar mais. Vale lembrar que muita gente fica em lugares afastados da cidade acontece de as famílias não quererem levar para comprar tanto assim, então também é bom ver se você vai ter oportunidade para comprar! Eu escolhi uma capital, Phoenix, então provavelmente vou poder comprar sempre que precisar ou quiser. Mas eu me conheço, e sei que eu não compro muito em quantidade, então nem adiantava eu trazer pouquissima roupa, até porque eu já tenho bastante roupa no Brasil. Depois fui reparando quais as roupas que eu me sinto melhor com e que da para misturar mais para intercalar, tipo as mais básicas. No final das contas deu:

04 shorts e saias arrumadinhos;
 02 shots básicos; 03 calças
01 Vestido de casa; 05 Blusas básicas;
  05 Blusas mais arrumadinhas; 03 Casaquinhos

De roupa foi isso mesmo mais o que eu estava vestida e o que estava na mala de mão. Não sei se vocês sabem, mas acontece muito de dar problema com a mala, ainda mais se tem muita conexão, e ela acabar indo para outro voo, por isso é sempre bom ter uma peça de roupa na mala de bordo! E para viajar, sempre roupa bem confortável e quentinha, porque no avião faz bastante frio. Dica boa também é fazer uns kits, fiz o de unha, de remédios, de coisa extra de banheiro e um pouco de maquiagem (imagem ilustrativa). De sapato tenho duas havaianas e duas rasteiras, eu optei por viajar com uma sapatilha muito confrotavel e não trazer tenis para poder comprar, afinal ocupa muito espaço. Biquíni, acessórios, trouxe dois óculos porque não penso em comprar, e dois cintos. 


Minha mala foi isso galera, no final deu 26 quilos junto com os presentes e tudo! De meu tinha uma mala de bordo com o computador que so pode ser de 6 quilos. Não trouxe mochila para comprar aqui, e foi a melhro coisa que eu fiz. Resumindo: se conheça. Afinal você que sabe se você vai poder comprar bastante, se é melhor trazer ou não... Aqui as coisas são baratas mas nem sempre como a gente gosta, short para menina mesmo não é igual ao Brasil. Ouçam seus pais com as dicas de viagem, se você nunca viajou internacionalmente converse com algum familiar que já e pergunta tudo sobre dicas de mala! Na hora de escolher as malas tente escolher as de360 graus para facilitar sua vida no aeroporto, elas são mais carinhas mas duram mais e tudo. Foi isso galera, não sei o que será o próximo post porque tme muita coisa para falar, mas nem tanto tempo para escrever! Bzuss!

31 de jul de 2013

Host Family: Presentes


Oi gente! Vim aqui dessa vez para mostrar para vocês o que eu comprei para levar para a host family de lembrança do Brasil. Já vi muitos posts como este em vários blogs de intercâmbio, normalmente os estudantes levam coisas com a bandeira do brasil, livros e tal. Não queria levar isso não, acho muito chato, sempre que recebo essas coisas de presente elas ficam de lado e acabo nem usando. Por isso preferi comprar coisas que sejam mais culturais e que vá mais com a personalidade deles. Como vocês já sabem, eu vou ter uma host mother e uma host sister intercambista, mas a HM tem filhos e notei pelas nossas conversar que eles vão ser bem presentes com a gente, mesmo eles já tendo as próprias casas. Mandei um e-mail para ela perguntando se ela usava sandália tipo havaianas(flip flops) e qual era o tamanho dos filhos dela, para poder levar para eles também. Ela respondeu que ela não usava e não falou quanto os filhos calçam, então preferi comprar vários docinhos típicos do Brasil e da Bahia porque aí todo mundo experimenta e fica tudo lindo! 
Fui em uma loja bem famosa aqui em Salvador, a Casa de Noca, onde têm vários quitutes regionais e muito bem feitos. Todos vêm embaladinhos, então fica bom para levar. Peguei biscoito avoador, doce de leite de pote, um docinho de coco com leite condensado, biscoitinho de goma com morango, bombom de mel, de fruta e mais uns salgados. 



Aqui na Bahia tem um docinho muito famoso que é a cocada de coco, nessa loja vendia tipo uns kits bem bonitinhos com vários tipos de cocadas e amarradinhos com a fita do Bonfim, que também é bem famosa! Achei um ótimo presentinho e peguei vários, tinham uns com fotos dos pontos turísticos no fundo que também achei bem legal para dar!


É muito importante que você converse com a sua família para poder entender mais um pouco da personalidade dela e acertar no presente. Assim eu pude perceber que a minha host mother gosta muito de artesanato! Conversei com minha mãe também e pedi a ajuda dela na escolha, e a gente decidiu dar uns paninhos de mesa bem bonitinhos, toalhas bordadas e um kit muito legal do O Boticário com sabonete, esfoliante e hidratante. 

Para a minha host sister foi mais fácil, pedi o número do pé dela e comprei uma havaiana com a bandeira mesmo que não tem erro. E uma coisa que eu achei muito legal de levar tanto para ela quanto para as pessoas que eu vou conhecer durante o intercâmbio são pulseirinhas! Sabe aquelas que foram febre aqui no Brasil ano pasado? Então, eu fazia delas na época, então pensei que seria um ótimo presente para os adolecentes! Fiz várias nesse período sem aula para poder levar. 

Claro que as comidinhas também vão ser para a irmã e para quem mais eu quiser dar, estou levando leite condensado, granulado e forminha para poder fazer brigadeiro! Lá não vende Nescau nem Toddy, então se você quiser leva também, mas prefiro fazer com barra de chocolate mesmo...
Foi isso o que eu comprei para levar... comprie bastante coisa sim, e coisas volumosas, por isso que é importante filtrar bem o que levar na mala. O próximo post será sobre a mala, dicas e o que precisamos levar! Espero que tenham gostado e que eles gostem lá também! AHH, só um parenteses: 2 dias para ir e não caiu a ficha ainda! hahaha 
Bzus!!

18 de jul de 2013

Passagem Aérea


Olá gente!! Como eu venho dizendo, tenho muita coisa para postar então muitos posts estão por vir e com mais frequência! Eu acho que eu nunca vi nada sobre passagem em nenhum diário de intercâmbio que eu acompanhei, mas pelo que aconteceu até a minha conseguir ser emitida acho legal compartilhar com vocês! 
Bom, não sei se vocês já sabem, mas as passagens só podem ser comprados depois que você tiver sua escola e família, tudo certinho. Acontece que passagem internacional quanto mais cedo comprar melhor, e como normalmente as pessoas só recebem família um mês antes, a passagem acaba sendo comprada em cima da hora. Por esse motivo ela sai mais cara e tudo mais. 

A minha empresa (CI), por ter muitos estudantes de high school para os Estados Unidos, fretou voos em agosto apenas para os estudantes deles. Foram fretados cerca de dois aviões, e como a maioria das escolas começam no final de agosto ou início de setembro, esses estudantes irão nesse voo. Esses aviões vão sair de São Paulo, onde acontecerá um encontro pre-embarque com varias pessoas da CI para ajudar e tudo mais. Só que existem algumas escolas que as aulas começam no início de agosto, mas como são poucos estudantes nesse caso não vai ter nenhum voo só para eles. Como eu já disse no post, minhas aulas começam dia 8 de agosto, então eu seria um desses estudantes que teria que ir para São Paulo para ter um encontro bem mini e viajar em um avião normal. Além de que assim eu teria mais escalas seria mais caro e o aconselhado era alguém ir comigo para São Paulo, ou seja, bem complicado! Meu vôo não seria direto para Phoenix, e sim Salvador>São Paulo>Dallas>Phoenix e foi o meu agente que viu tudo de passagem e mandou para a gente os valores. Meus pais acharam que eu não teria benefício nenhum indo para São Paulo antes e decidiram falar com a CI para eu ir direto daqui. Eles reclamaram um pouco no início, mas depois disseram que não teria problema não até porquê saia bem mais barato e menos cansativo.

Então meus pais ligaram para uma agência de viagens de nossa confiança e pediu para ela procurar um voo no mesmo dia que fosse direto de Salvador. Ela achou e eu vou fazer Salvador>Miami>Phoenix , bem melhor! A passagem de volta tem que ser emitida junto, por mais que depois eu queira mudar a data, tem que comprar as duas. Tem também uma taxa a ser paga além da taxa de embarque que é pela permanência no país, no caso dos USA o valor é dado pela quantidade de meses que você fica, então quem fica 1 mês lá paga um valor e quem fica 2 paga o dobro. No caso da Inglaterra já é diferente, o valor é de 6 em 6 meses. Isso eu não sabia, mas a taxa não é muitoooo não, mas é o que deixa a passagem mais cara sem dúvidas! Falo com vocês logo, Bzus!


17 de jul de 2013

Visto americano

O post é grande, então quem quiser da um Ctrl+f e busca o que precisa direto que vai achar!
Oláá! Hoje vou falar sobre a burocracia do visto e os devidos cuidados. Para quem não sabe é preciso tirar visto para ir para os Estados Unidos assim como em alguns outros países, tanto para turismo (b2) quanto para estudo (f1 ou f2). No caso dos USA o visto é tirado no Consulado Americano, diferente do Canadá que a solicitação é feita pela internet, você tem que procurar pelo Consulado mais próximo para o agendamento. Caso não tenha nenhum no seu estado, eu aconselho a você a procurar uma empresa especializada em agendamentos de vistos e ele vão te explicar tudo certinho e inclusive preparar e organizar os mil e um documentos que tem que levar, ainda mais no caso de intercâmbio. Se sentir confiança pode você mesmo fazer o agendamento pelo site do consulado. 

Se você ainda não tem nem passaporte corra logo e vá fazer o seu, porque tanto o visto quanto o passaporte são coisas demoradas e que nem sempre consegue agendamento para uma data próxima. Para o agendamento você vai preencher um formulário com seus dados e coisas de sua vida como viajante: quantas vezes já foi para os USA, quais foram os outros países que você visitou, e assim vai (não vou falar muito sobre ele aqui por que é muito fácil mesmo). Se você tiver contratado uma empresa para fazer o agendamento fica mais fácil ainda, porque tem foto para mandar também. Quando você conseguir agendar o visto, tem uma taxa a ser paga de U$160,00. Até aqui os passos foram os mesmos para qualquer um dos vistos que eu falei. Para quem é intercambista tem mais taxas a serem pagas como a do SEVIS que é U$200,00 e mais alguns documentos que só intercambista precisa. 

O I-20 (meu caso) é o documento que a escola manda dizendo que você vai ficar lá e que ela te aceitou e tal. Esse documento pode vim com outro nome, acho que I-19, mas eu não sei o que leva uma pessoa a ter um e não o outro, mas ambos são disso da escola. Você vai precisar do original desse documento para levar para o Consulado, como é da escola, os papéis vão vim dos USA até o Brasil, mas isso sua empresa de intercâmbio que resolve. Depois de tudo isso você já vai ter seu agendamento completo, basta ir lá.
Como eu disse, não são todos os estados que tem o Consulado para visto, então eu precisei viajar para isso, eu fui para Recife com um responsável (minha mãe). O responsável é pelo fato de ser menor de idade mesmo, mas pode ser tanto mãe quanto pai ou os dois se preferir. Para o visto você tem que ir em dois lugares, primeiro no CASV e depois no Consulado. Não sei se é possível fazer o agendamento dos dois para o mesmo dia, então eu fui no dia 14 no CASV e 15 no Consulado. Sim, 14 domingo, e estava cheio de gente lá!

O CASV é onde vão checar se você pagou as taxas, tirar sua foto e recolher suas digitais. Entram os grupos de 30 em 30 minutos e a ordem de chegada só importa para quem for do mesmo horário que você, ou seja: se você chegar 14h e seu horário for 15h, qualquer pessoa de 14h e 14:30h vai passar na sua frente, mas para os de 15 segue a ordem mesmo. Lá pode celular, é só desligar, e a mulher só pede para olhar dentro da sua bolsa e passa o detector de metal em você, porque não pode nada perfuro cortante. Ai é bem tranquilo, não tem nada de interessante lá dentro.
No Consulado é um pouco mais complicado, lá que você vai saber se seu visto foi aprovado ou não e vão te fazer perguntas. A fila é quase a mesma coisa da fila do CASV, mas lá são divididas por horário, então se você chegar cedo você será uma das primeiras do seu horário a entrar. Eles aconselham chagar 15 minutos antes, para dar tempo deles checarem se está tudo ok com seu papel do CASV na fila e você não fica muito tempo lá fora no sol. Para entrar você passa pelo detector e seus pertences pelo raio-x, igual ao de aeroporto mesmo. No caso do Consulado, recentemente eles determinaram que eletrônico não entra! 
Pen drive, celular, máquina... não entra! Antes eles até tinham onde guardar para você, mas agora não, então evitem levar mesmo. Se precisar muito levar, provavelmente vai ter um guarda volume ao lado (em Recife tinha). Mas isso é uma coisa "nova", porque antes eles guardavam, então quando seus pais ou sua tia disser que pode é porque antes era assim. Depois de entrar você pega uma fila bem rápida só para entregar seu passaporte e o papel que conferiram lá fora. Quando você fizer isso eles vão te dar um número em troca e você fica numas cadeiras esperando seu número ser chamado.

A moça veio e falou: "Os números não vão ser chamados em ordem, e sim na ordem que os passaportes forem devolvidos depois de analisados." E isso é bem verdade mesmo, não tem ordem, gente que entrou bem depois de mim foi chamada antes e eu fui chamada antes de gente que já estava lá também. Então mais uma vez chegar cedo não adianta. Quando você é chamado você vai para a fila da entrevista (último passo, ufa), na sua vez você vai para uma janela de vidro para ser entrevistada. Uma coisa que eu não sabia é que os entrevistadores são americanos!
Então eles vão começar falando em inglês, caso você não saiba inglês ele fala em português, mesmo que não tão bem. Ele vai perguntar basicamente qual é o seu programa (high school), qual foi sua última vez no país, se você já tem host family e quem vai pagar seu programa. No meu caso eu disse que meus pais JÁ tinham pago, aí ele pediu para ver o papel que confirma esse pagamento, acredito que se ainda não tivesse pago ele pediria para ver os documentos dos meus pais que comprovam a capacidade financeira deles. Depois disso ele perguntou para meu responsável qual era o trabalho dele e a quanto tempo, acho que quanto mais tempo melhor. Enfim a entrevista acabou e ele disse que foi aceito e me desejou boa sorte. Quando o visto é negado eles devolvem o passaporte para você na mesma hora, quando aceito você ou pega alguns dias depois no CASV ou recebe em casa no prazo 15 dias úteis.
O post ficou bem grande mas também explica passo a passo! As dicas finais que eu tenho são:

  • Se tiver com risco de chuva, leve guarda-chuva! Pois a maior parte do tempo de espera é a céu aberto.
  • Organize tudo em duas pastas de possível! Uma com as coisas da viagem e a outra com comprovantes e informações pessoais, assim é mais rápido para achar os papéis quando solicitado.
  • Converse com as pessoas da fila! Sempre tem alguém que vai fazer ou já fez intercâmbio, sem falar que ajuda a passar o tempo.
Então foi isso! Boa sorte a quem vai tirar ainda e calma que quanto mais nervoso(a) você estiver pior! Então relaxe e pede para pegar um "entrevistador" bonzinho! hahaha  Bzus

Atualizando: Os papéis que eles pediram na primeira parte do consulado ficou junto com meu passaporte todo o tempo, ou seja, só teria eles novamente quando recebesse meu passaporte. Ao me desejar boa viajem, o entrevistados também disse que era bom eu estar com estes documentos na hora de embarcar, já que são eles que comprovam minha aceitação. Hoje (10 dias depois) eu recebi meu passaporte aqui na minha casa com o visto nele e os documentos também dentro do envelope!

8 de jul de 2013

Sentimentos: 1 mês antes

Fala galerinha! Tudo bem? Bom, esse post vai ser um pouco diferente dos outros e inclusive não me recordo de ter lido muitas vezes posts do tipo. Queria falar um pouco do que passa na cabeça de um intercambista em determinados momentos do intercâmbio! Mesmo sabendo que sentimento vai de pessoa para pessoa, acredito que quando se trata de intercambista é inevitável a semelhança entre eles. Afinal são os mesmos medos e inseguranças! Vou falar o que é que há aqui comigo, o que vem na cabeça a essa altura do campeonato. Situação atual:
Host family determinada, a relação com ela está sendo ótima até agora, sempre em contato e tal. Férias acabando, visto marcado, passagem predetermináda, falta mala, presente, ir em alguns médicos e resolver escola aqui no Brasil. Resumindo, MUITA COISA PARA A CABEÇA DE UMA PESSOA SÓ! Aí começam as preocupações e os questionamentos próprios... Será que o visto vai ser aceitoSerá que vai dar tempo de fazer tudoSerá que vou fazer faltaE lá? Será que eu vou me enturmar? Será que vai dar tudo certo? DÚVIDASSS

Toda hora eu paro para pensar um pouco, me pergunto tudo isso e mais. Fica aquela impressão que seus amigos não vão lembrar de você, afinal o mundo aqui não vai parar por minha causa. É muito difícil escrever o que eu estou pensando, muito mesmo! Não é arrependimento, é angustia eu acho,
Ontem(7)  foi a minha primeira noite sem dormir pensando nisso, mas também, tive motivo. Como podem ver, no post diz "1 mês antes" mas na verdade falta menos de um mês! Eu estava de férias, então estava meio perdida em relação a datas, os dias foram passando sem eu perceber e não saia da minha cabeça esse 1 mês. Ontem eu me toquei que já era dia 8, que no final de semana seguinte eu já vou tirar o visto, e ainda tenho que arrumar a mala e mais mil coisas. Mas aí tem que parar para respirar fundo e dizer: é isso que eu quero!
Como eu disse, esse post foi meio random mas eu legal falar disso tanto para encorajar quem está assim ou quem tem medo. Espero que tenham gostado e deixem um comentário aqui no post caso estejam sentindo algo do tipo, ou têm medo de fazer intercâmbio por essas coisas. Bzuss!!  

3 de jul de 2013

Host Family: O que falar no primeiro contato

Olá gente! Como prometido, aqui está o post sobre o contato com a host family! O quê falar para uma pessoa que você nunca viu na sua vida, e que você vai conviver por no mínimo 6 meses?
No application que você receber da agência vai ter o e-mail que você pode falar com a família ou o número que você pode ligar. Tem gente que prefere ligar, mas eu não tive essa coragem toda então resolvi mandar e-mail mesmo.
A primeira coisa que nos deixa confuso é que nós não sabemos o que a host family já sabe sobre nós, por isso tentem não ser muito detalhistas no primeiro contato.Tentem pensar no que você falaria para uma pessoa sobre você em apenas um minuto, e lembre que essa pessoa não tem a nossa idade, então o que é importante ela saber não é exatamente a sua música preferida logo de cara, e sim as informações básicas mesmo. Você pode começar falando onde mora, sua idade e que você esta feliz de ter essa host family, e você pode também dar a possibilidade de se comunicar por outros meios, deixando assim a critério da família. Veja o exemplo: (Mr. para o host dad, Mrs. ou Mss. se não for casada para a host mom, ou se você não souber você põe Ms.)

Mr. Sobrenome
My name is Giulia Mendes and I just found out that your family will host me during the next semester. I'm from Salvador, Bahia, Brazil and I have 15 years old. I hope we'll have a great semester together!
You can also add me on Facebook or Skype (link do Facebook e nome do Skype) so we can keep in touch even before.
Thanks in advance, Giulia

Mais ou menos assim fica legal, você dá a liberdade para a família responder o que ela quiser, se ela for puxando assunto, falando mais sobre a vida deles aí você também fala mais sobre você, se seu inglês não for muito bom você pode falar isso no primeiro e-mail com um ar mais descontraido que ai fica tudo bem. Se eles forem fazendo perguntas, vc responde e também pergunta alguma coisa, só tenta não fazer um interrogatório. Eu perguntei logo no segundo e-mail se ela tinha tido acesso a todo o meu application e ela disse que sim, então eu já evitei falar as coisas que eu sabia que eu tinha colocado lá. 
Nessa troca de e-mails, além de ter me falado que ela mora só e que os filhos já são casados, minha host mother também falou que haveria um intercambista da Noruega lá na mesma escola que eu, então eu perguntei se ela iria morar com a gente ou se a família dela seria outra, ela disse que sim, ela também iria morar lá. Pedi para ela dar meu e-mail para a garota e ela deu. Eu já estou conversando bastante com a menina, e o nome dela é Siri, e foi bem mais fácil me comunicar com ela do que com a mãe. 
  • Decidi fazer os posts em uma espécie de série, Host Family, ai eu vou postanto com esse título todos os assuntos que são referentes à host family. Na série pretendo falar tanto das coisas de antes, como o primeiro contato e presentes, como também quero falar das coisas de lá, convivência e tudo mais.

Se tiverem mais alguma dúvida é só deixar um comentário que eu respondo com maior prazer!
Bzus!